História da Cidade

A história de Mormaço remonta ao ano de 1900. Famílias de diversas etnias se fixaram gradativamente no município, que até então era pertencente a Soledade.

Graças ao empenho dos primeiros moradores, iniciou-se o desbravamento das terras, estabelecendo-se as primeiras lavouras diversificadas e a pecuária.

Composto, sobretudo por descendentes de italianos e de alemães, Mormaço é um município com belezas naturais, como o Rio Espraiado com suas ilhas e cachoeiras, e que foi batizado com esse nome por causa do tempo quente e úmido, pelo intenso calor provocado pelo sol em época de frio.

Origem do Nome

Inicialmente, o local foi chamado de “Mundo Novo do Jacuí”, mais tarde, devido ao forte calor provocado pelo sol no meio da mata fechada e, em época de frio, pelo vapor que se elevava do degelo das geadas, a esse fenômeno, deu-se o nome de MORMAÇO.

Haviam aqueles que chamavam de “Serra do Mormaço”, mas preponderou apenas o último nome, até os dias atuais.

Processo de Emancipação

A emancipação de Mormaço ocorreu no dia 20 de março de 1992, com a assinatura da lei estadual número 9616 que dispõe sobre a criação do município. O processo se deu a partir da iniciativa de líderes comunitários que formaram uma comissão de emancipação e lutaram pela criação do município.

18 anos depois Mormaço com muita garra o povo mormacense continua escrevendo sua história de labor e pujança.Situado no Alto da Serra do Botucaraí, o progressista município de Mormaço vem atualmente apresentando um grande desenvolvimento sócio-econômico e cultural.

Sua população é aproximadamente 2.713 habitantes, dos quais, cerca 500 residem na sede do município e a grande maioria nas comunidades do interior. A comunidade mormacense é tradicionalista e preserva seus costumes e valores, realizando frequentemente rodeios e festas nas suas comunidades e CTG´s.

A fé e religiosidade também são traços marcantes de seu povo que a 84 anos realiza com muito orgulho e vigor a Festa de Senhora dos Navegantes, Padroeira do Município.

Comissão de Emancipação

Ernani Schroeder, Sérgio Nicolini, Rogério Koenig, Edemar Musskopf, Moacir Antônio Cerini, Joarez Odônio Rodrigrues, Theobaldo Berticelli, Léo Paulo Ranzi Fontana, José Antonio Ottoni, Alceu Morigi, Ulisses Adalberto Azambuja Rodrigues, Salvador Alvori Moraes dos Santos e Fredolino Paulus.

comissaoemancipacao

Hino Municipal de Mormaço

Salve terra adorada
Próspera e bela que conheci
Tens a história iniciada
No leito firme do Rio Jacuí.
Tens o perfume da terra
E a sua beleza na plantação
Nos campos os verdes impera
E dá vida ao meu coração.

Mormaço, estrela boeira
Que brilha entre tantas no céu anil
É a mais bonita e faceira
Que ilumina o Sul do Brasil.

Devo louvores e glória
Ao Planalto Riograndense
Região que abriga a história
E a fé do povo Mormacense
Qualquer raça no mundo
Que Mormaço um dia visitar
Alegria e amor profundo
Nesta terra haverá de encontrar.

Mormaço, estrela boeira
Que brilha entre tantas no céu anil
É a mais bonita e faceira
Que ilumina o Sul do Brasil.

Letra de Luiz Roberto Dalpiaz Rech
Música de João Batista Laner

Brasão

LEI N.° 033/93, de 01 Junho de 1993.

O Município de MORMAÇO-RS, formato exposto, em estilo Português, donde se origina a Heráldica Brasileira. Traz dois Leões Rompantes em Jalne, amparando o símbolo da Indústria e Comércio também em Jalne, sobrepondo em um céu em Blau. Na faixa o rio em Blau. Na Sinistra, a figura de um homem, que semeia os campos em sinopla, sobrepondo um aspecto topográfico da região em sinopla com um pinheiro em sable um sobrepondo um sol em Jalne sobre um céu em Blau. Amparando o escudo os Tenentes mostram a produção básica das lavouras do Município, enlaçados por um Listel em Goles, que traz inscrito o topônimo: 20-03. MORMAÇO. 1992. Tudo encimado pela Coroa Murada em Argenta.

Descrição Detalhada

O formato do Brasão do Município de Mormaço-RS, baseia-se na Heráldica Portuguesa, de onde se origina a heráldica Brasileira, simbolismo artisticamente elaborado como rigor místico e alegórico em formas e dimensões exigidas pela heráldica usual, sendo que, as cores obedecem seguinte técnica na sua codificação: O Jalne (ouro), simboliza a força e a riqueza; A Argenta (prata), a história, a nobreza; O Goles (vermelho), representa a justiça, a honra; O Sinopla a natureza. O Brasão traz na destra os dois Leões Rompantes em Jalne, sustentando o Elmo de Mercúrio com a Roda Dentada também em Jalne, que é o Símbolo Universal da Indústria e Comércio; As linhas onduladas na fixa simbolizam o rio que por suas águas produzem a bruma que deu origem ao nome do lugar, a figura do homem que semeia os campos em Sinopla representa o agricultor que desbravou as matas da região e que continua sempre a semear o seu grão que se multiplica por milhões de vezes, os morros e colinas representam os aspectos topográficos da região, em Sinopla, refletindo o verde das matas; os pinheiro em Sable simboliza as matas como a árvore representativa das matas; as lavouras em Sinopla são representadas por curvas de nível, de onde de origina a produção do município; O sol em Jalne no nascente, simboliza o novo, aquilo que está nascendo, irradiando luz em todas as direções, clareando tudo trazendo em seus raios a vida e o calor que farão com que a semente na terra boa de Mormaço, pelo homem, frutifique em abundância de grãos, representados pelos Tenentes (suportes) que amparam o escudo; o listel em goles, representa a proteção; a Coroa Murada em argenta, representa os três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário e a terceira grandeza, ou seja, Município sede.

Bandeira Municipal

Executada em tecidos fixados um ao outro, na vertical, da esquerda para direita, nas cores verde, branco e azul. Cores em esmaltes predominantes no Brasão Municipal.

Redimensionar Fonte
Contraste